Aliyah

Moona

Moona: Alta Tecnologia e Paz

Decidimos trazer para você uma história de esperança e, por trás de toda história de esperança, existe um sonhador realizando seus sonhos. Neste caso, o percursor e sonhador que estamos falando é Asaf Brimer, ex-piloto da Força Aérea Israelense.

 

Após seu serviço militar, Asaf foi líder de um vilarejo nas montanhas na região da Galileia, aonde, pela primeira vez, decidiu criar Moona – um programa que permitiria seus filhos de conhecer outras crianças da área.

 

Moona é um espaço para mudança social e econômica no coração da Galileia. Tem como objetivo permitir indivíduos de diferentes culturas, gêneros e setores sonhar e preencher suas aspirações, através do reforço da educação, empreendedorismo e inovações de tecnologias cientificas como um meio para o desenvolvimento regional na Galileia. Moona foi fundada em 2013 por Asaf e foi lançada como um espaço para ciência, tecnologia e espaço (sic).

 

“Foi um processo”, afirma Asaf. “Eu entendi que viver na Galileia abriu a oportunidade de alcançar os vilarejos árabes da área. Eu não queria, e ainda não quero hoje, para meus filhos, viver dentro de um bunker com a população judaica. Ramificar-se para fora é importante porque move a vida para frente.

 

A Agência Judaica para Israel, o Karmiel-Misgav e o colaborativo da Federação Judaica da Grande Pittsburgh – parte do Partnership2gether Peoplehood Platform da Agência Judaica que associa as comunidades judaicas globais com as comunidades israelense – acreditaram na ideia de Asaf e ajudaram-no desde o começo.

 

Sue Linzer, que está envolvida junto ao P2G, explica: “Asaf Brimer veio a nós com uma ideia de criar um centro tecnológico que representaria a vida comum (de árabes e judeus) na Galileia. Eu, como um membro da parceria, fui checar o programa quando estava começando – quando ainda era baseado em Sakhinin. Eu conheci pessoas do mundo tecnológico e eles me disseram que Charles Frank Bolden Jr, o atual administrador da NASA, tinha visitado o programa antes de mim, e lógico que isso me mostrou que o projeto era oficial. No lançamento do programa Espaço para Mudança (Space for Change), como foi conhecido, eu estive muito impressionada com o quanto Asaf estava liderando o programa. Desde então, ele tem feito maravilhosos trabalhos e conectado seu programa com Reut Institute de Gidi Grinstein – um apartidário, sem fins lucrativos grupo de estratégia cujo foca em questões relacionadas a Israel e o mundo judaico. Esperamos com entusiasmo, cada vez como algo novo, para o contínuo desenvolvimento do projeto.

 

Criando o Espaço para Mudança

 

Aproximamo-nos de Asaf antes do Dia da Independência e perguntamos a ela, na sua opinião, quão bem a sociedade israelense está a cumprir a Carta de Independência e ele responde: “O Dia da Independência é sobre liberdade e democracia e oferecer a todos a possibilidade de desenvolver-se, mas a conexão entre nossas diferentes populações ainda é afetada pelo medo do que é diferente. Nós estamos tentando, em nossa sociedade, mudar a preocupação e ansiedade em parceria e curiosidade. ”

 

“O problema é que após 70 anos de independência, nós ainda estamos lidando com a polaridade, separação e guerra, e estamos menos focados em promover conexões entre civis.

 

Não somente entre judeus e árabes mas entre judeus e outros judeus ao redor do mundo. Nós estamos tentando mudar tudo isso conectando todas as diferentes populações para trabalhar em conjunto – Moona permite para a existência de uma sociedade articulada e provêm atividades para todos sem ‘linguagem sofisticada’ ou motivos que não estamos interessados.

 

Nós queremos criar juntos. ”

 

Asaf diz que o trabalho do Moona em direção a melhorar a sociedade acontece em vários níveis: em termo de desenvolvimento, há “mentores” que são alunos do Rafael Advaced

 

Defense Systems Ltd, do Instituto Technion, ORT Braude Academic College of Engineering e projetos integrados com judeus e árabes.

 

Quantos alunos existem hoje?

 

Ao todo, 3.000 pessoas estiveram conectadas com as atividades do Moona até então e há 300 pessoas que trabalham em competições e projetos diariamente, diz Asaf. Um dos jovens que foi descoberto e tornou-se um participante regular na programação do Moona é Khaled Abu Daoud Majd al-Krum.

 

Sonho de Khaled Abu Daoud

 

Khaled Abu Daoud, um jovem do vilarejo de Majd al-Krum, aonde Moona está sediado, diz que ele se envolveu porque, em uma idade jovem, ele percebeu que o que mais lhe interessa é o desenvolvimento de produtos hi-tech.

 

“Eu sou bom em pensar tecnologicamente e eu realmente quero ser um inventor neste campo – aqui é o espaço que acredito mais do que qualquer outro”, diz Khaled.

 

Atualmente, Khaled Abu Daoud está trabalhando em um drone do tamanho de um pequeno avião e ele explica que já foi destaque em competições.

 

Asaf Brimer olha para Khaled, que vem regularmente, e diz, “Ele é um maravilhoso exemplo do que está acontecendo aqui. ”

 

O menino balança a cabeça e traz mais de um cesto cheio de estrelas de todos os tipos de cores que foram desenhadas e manufaturadas de acordo com um software especial para distribuir como um souvenir dos estudantes do Moona para os membros do P2G que vieram visitar a companhia.

 

Então Khaled sai para a sala ao lado e senta com outro amigo, graduado no programa de engenharia do Karmiel, que começa a ensina-lo sobre um dispositivo eletrônico que controla drones.

 

Asaf observa feliz porque o que começou como um sonho está se frutificando diante de seus olhos.

 

Companhias Israelenses de Alta Tecnologia Ajudam o Moona

 

“Hoje nós somos uma companhia financiada por companhias de alta tecnologia em Israel, mas não poderíamos ter começado e mantido o projeto sem a assistência da Federação Judaica da Grande Pittsburgh e seus parceiros com o Karmiel-Misgav”, ele diz.

 

Companhias de alta tecnologia que financiam o Moona incluem: Qualcomm, Check Point Software Technologies, Microsoft e Golden Number Solutions.

 

“A ajuda deles com a garantia de fabricação dos produtos de mais alto nível enquanto insinuam desenvolvimento pessoal e ensino de excelência”, diz Asaf.

 

Mas o que é mais importante para ele é compartilhar, estar junto e trabalhar junto.

 

A pessoa que melhor descreve o que o Moona está fazendo é o antigo Presidente israelense, Shimon Peres, que diz:

 

“Se houvessem mais dessas fábricas no país, já haveria paz. ”

 

 

08 Jun 2016 / 2 Sivan 5776 0
  •   Print