Voluntários aos Sobreviventes do Holocausto

Social_Laad_mainThe Jewish Agency for Israel ©

Voluntários treinados fazem telefonemas para as casas dos sobreviventes do Holocausto em Israel, oferecendo companhia, ajuda nas tarefas domésticas diárias e assistência geral.

O La'ad treina centenas de jovens voluntários para ajudar os sobreviventes do Holocausto em Israel a viver com mais dignidade.
 
Eles visitam os sobreviventes em suas casas, ajudam nas solicitações de apoio financeiro a que eles têm direito, operam um Call Center para ajudar os sobreviventes a navegar pela burocracia e gravam depoimentos de testemunhas sobre o Holocausto.
 
Lançado em 2008, o La'ad já ajudou 100.000 sobreviventes a acessar seus direitos financeiros. Os casos mais necessitados também são elegíveis para as doações em dinheiro para emergências do La'ad.
 

 

 

  • Educação Judaica na Diáspora

    Educação Judaica na Diáspora

     

    O Ministério da Educação de Israel solicita entrar em contrato com a companhia “Ulamit”, subsidiária da Agência Judaica, para a execução de programas especiais de trabalho nos campos formais e informais em escolas judaicas em todo o mundo. Os programas estão dirigidos a escolas judaicas de todo o mundo que satisfazem os requisitos e que estão interessadas em cooperar nos temas apresentados abaixo.

    Frisamos que se trata de operação de um programa que funciona de certa forma e a intenção é que no programa que funciona hoje serão realizadas mudanças de forma gradativa durante o ano letivo de 5778 (2017-2018), enquanto que no ano letivo de 5779 (2018-2019) a intenção é que o programa seja operado totalmente na sua nova forma. 

     

    Objetivo do programa

    Construção de um sistema de contatos contínuos e de qualidade com escolas judaicas na Diáspora e fortalecimento dos laços entre elas, com aprofundamento dos contatos entre os/as diretores/as, professores/as e os/as alunos/as destas escolas com o Estado de Israel. 
     

    Metas centrais

    1. Aumento do ensino sobre o Estado de Israel em quadro formal e informal.

    2. Fortalecimento dos laços entre o Estado de Israel através do contato e dos meios comuns de ensino entre os/as diretores/as, professores/as e os/as alunos/as.

    3. Fortalecimento do ensino de hebraico como língua adicional e assimilação de estudos sobre as tradições e a herança judaico-israelenses nas escolas, incluindo a assimilação de temas relacionados com os quadros formais e informais de estudos (hebraico, Israel, tradições e herança judaico-israelense).

    4. Organização de viagens de estudos em Israel para professores locais que ensinam os temas centrais (hebraico, Israel, tradições e herança judaico-israelense).

    5. Ajuda às escolas com bolsas de estudo para alunos e alunas de famílias da comunidade que não podem pagar as anuidades, com o objetivo de juntá-los aos quadros de aprendizado das escolas (formais e informais).

     

    Requisitos para a participação do programa

    Em continuação e melhora das iniciativas atuais, os diretores das escolas judaicas na Diáspora podem submeter um pedido de participação, desde que satisfaçam todos os requisitos seguintes:

    1. Escolas particulares ou públicas, reconhecidas pelas autoridades locais como escolas judaicas;

    2. O número de alunos na escola: o número mínimo de alunos destinados a participar do programa: 100.

    3. Pelo menos três professores locais ensinam as disciplinas básicas (hebraico, Israel, tradições e herança judaico-israelense).

    4. A escola ensina pelo menos 8 horas semanais de estudos de hebraico e estudos de Israel e as tradições.

    5. A escola assinala as festas judaicas e as datas especiais do Estado de Israel: o Dia da Lembrança do Holocausto e do Heroísmo, o dia de Lembrança dos Caídos do Exército de Defesa de Israel e o Dia da Independência do Estado de Israel.

    6. A escola é operada de forma econômica correta, mas seu balanço econômico é negativo ou marginal (de acordo com o relatório do auditor), em função do custo de operação dos programas adicionais de ensino sobre os temas de Israel, hebraico e judaísmo e/ou pela falta de capacidade dos alunos de pagar todos os valores das anuidades.

    7. Compromisso total da escola e de seus diretores ao programa Educação Judaica na Diáspora e assinatura em um termo de compromisso de acordo com todos os seus requisitos.

    8. Apresentação de um plano de trabalho para aprovação de fatores profissionais no Ministério de Educação de Israel e a aprovação do plano.

     

    Detalhes do programa a ser operado nas escolas que escolhem participar dele

    Professores

    1. Participação ativa nos vários planos a serem formulados previamente no plano de trabalho. Estes planos serão remetidos às escolas pela equipe de ativação do programa e publicados no site do Departamento de Relações Externas e UNESCO do Ministério da Educação (O site se encontra em construção. O Ministério pretende apresentar os conteúdos no início de 2018).

    2. Participação de cursos de aperfeiçoamento sobre temas especiais para escolas judaicas (hebraico, tradições, estudos de Israel).

    3. Participação em atividades conjuntas com professores de escolas em Israel.  

    4. Participação de professores locais, se possível, em viagens de estudos e congressos pedagógicos em Israel. O orçamento das viagens e dos congressos depende da existência de plano anterior de ensino e de plano posterior após a visita.
     

    Alunos

    Criação e execução de sistema de atividades sobre temas populares judaicos e do Estado de Israel, em conjunto com o Ministério da Educação de Israel.

    1. Execução de várias atividades escolares relacionadas com o Estado de Israel, festas judaicas anuais e comemoração de vários eventos.

    2. Trabalhos de pesquisa escritos sobre as tradições judaicas e Israel.

    5. Participação em várias atividades constantes no plano de trabalho, como competições, centros de estudos, visitas, etc., incluindo viagens a Israel. O orçamento das viagens depende da existência de plano anterior de ensino e de plano posterior após a visita.

     

    Chave do orçamento

    1. No primeiro estágio será calculado o número de alunos em relação ao número de alunos na escola que satisfazem os requisitos, de forma que um aluno “normal” seja contado como um aluno e um aluno que participa da população especial, conforme a definição deste documento, seja considerado como 1,2 alunos;  

    “População especial” – alunos de famílias oriundas da antiga União soviética e cujos conhecimentos de temas judaicos, sionismo e Israel são fracos, e também outros que necessitam de fortalecimento destes temas.

    2. Num segundo estágio, o orçamento do programa será dividido de acordo com o número de alunos calculado no estágio 1 e será fixado um “ponto de valor” por aluno.

    3. No terceiro estágio cada escola receberá sua parte de acordo com o número relativo de alunos que estudam na escola.

    4. O pagamento será feito através da Agência, após exame dos relatórios de execução e sua aprovação pela unidade profissional.

     

    Observações

    1. O programa será financiado pelo Ministério da Educação do Estado de Israel.

    2. A sua execução será gradativa; até sua execução total será possível continuar com a atividade existente atual (até o ano de 2017).

    3. Toda a iniciativa depende da execução de controle orçamentário e pedagógico ao longo de toda a sua operação.

     

    Application forms

    עברית

    English

     

    18 Dez 2017 / 30 Kislev 5778
  • Oportunidades
    02 Jun 2016 / 25 Iyar 5776
  • Sharansky no Brasil
    16 Nov 2016 / 15 Heshvan 5777
  • Projeto Ma’agal – Circulando Ideias
    06 Dez 2016 / 6 Kislev 5777

Pages

La'ad

La'ad La'ad La'ad La'ad La'ad La'ad La'ad La'ad La'ad La'ad
12 Jan 2014 / 11 Shevat 5774